sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Marília inicia ‘Cidade Limpa’ na abertura da Semana Nacional de Combate ao Aedes

Ação de coleta de resíduos acontece de 23 a 31 de outubro e culmina com a agenda nacional que envolve unidades de saúde, escolas e centros de assistência social

Será aberta em Marília, na manhã de segunda-feira (23), duas grandes ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, zika e chikungunya. O município aderiu à “Semana Nacional de Mobilização dos setores da Educação, Assistência Social e Saúde para o combate ao Aedes aegypti”. Marília também participará da Operação Cidade Limpa, em parceira com a TV TEM.

O lançamento das ações será feito pelo prefeito Daniel Alonso, no início da manhã, na Garagem Municipal (avenida República). Estão sendo mobilizados centenas de servidores, incluindo equipes da Saúde, Meio Ambiente e Limpeza Pública e apoio da Secretaria de Obras.

A primeira região atendida será a zona norte da cidade, seguida da zona leste, centro e oeste, com encerramento na região sul. Em etapa posterior, será feita limpeza também nos distritos de Marília. O programa de iniciativa da TV TEM, realizado com as prefeituras, envolverá diretamente as secretarias de Meio Ambiente e Limpeza Pública, Saúde e Obras.

SEMANA NACIONAL

De 23 a 31 de outubro, está assinalado no calendário da saúde a “Semana Nacional de Mobilização dos setores da Educação, Assistência Social e Saúde para o combate ao Aedes aegypti”. Mais de 210 mil unidades públicas e privadas de todo o Brasil estão sendo mobilizadas.

O objetivo é que durante a semana de mobilização a população seja alertada sobre a importância
de combater mosquito transmissor de doenças, como dengue, zika e chikungunya, já antes do
verão, período do ano quando acontece o maior volume de chuvas, o que facilita a reprodução do
Aedes aegypti. Ao todo, serão mobilizadas 146.065 escolas da rede básica, 11.103 centros de
assistência social e 53.356 unidades de saúde.

Estados e municípios tem autonomia para definir quais ações serão realizadas durante a ação,
mas a orientação da Sala Nacional é que sejam realizadas atividades que envolvam a prevenção e
o combate do Aedes, como mutirões de limpeza, distribuição de materiais informativos, realização de rodas de conversas educativas, oficinas, teatros e gincanas.

Em Marília as ações estão sendo articuladas pelas secretarias da Saúde, Educação e Assistência Social, com apoio das demais pastas. Estão previstas palestras, distribuição de material, treinamentos, reuniões com grupos setoriais e atividades de incentivo à sociedade civil organizada.

Em 2017, a cidade registrou 27 casos confirmados da doença. O risco fica maior nestes três últimos meses do ano. O alerta deve se manter nos três primeiros meses de 2018, até o fim da temporada de chuvas. Com o inverno e a estiagem, as notificações tendem a reduzir, porém ainda há risco de transmissão e as ações serão mantidas.

Texto: Carlos Rodrigues
Fotos: Divulgação

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Secretaria Municipal da Saúde participa do ‘Pit Stop’ Entrevias em Marília

Enfermeira do SAE conversa com transeunte que participa do Pit Stop da Saúde promovido pela Entrevias


Caminhoneiros e familiares, principal público-alvo do “Pit Stop da Saúde” promovido pela concessionária Entrevias, estão sendo abordados por profissionais da Secretaria Municipal da Saúde de Marília para um alerta importante: as ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis). As orientações são transmitidas por equipe capacitada do SAE (Serviço de Atendimento Especializado), referência para prevenção e tratamento em Marília. O evento acontece no pátio do Auto Posto Gigantão até às 17horas desta quinta-feira (19).

No primeiro dia, foram realizadas cerca de 70 abordagens. A maioria das pessoas orientadas são homens. Algumas esposas e familiares, que viajam com os caminhoneiros, também investiram alguns minutos para saber mais sobre a prevenção e os recursos para se evitar ISTs.

Foram distribuídos preservativos masculinos e femininos, gel lubrificante e materiais de divulgação que relaciona as principais infecções. O público também recebeu informações sobre os testes rápidos e as unidades de atendimento à saúde.

A enfermeira Alessandra Pereira, coordenadora do Programa Municipal de Prevenção e Combate às ISTs, relata que muitos ainda desconhecem, por exemplo, o preservativo feminino, a função do gel lubrificante na prevenção a doenças e a possibilidade do teste rápido. 

Ela alerta que, nos últimos anos, a percepção equivocada de parte da população sobre a eficácia de medicamentos e recursos terapêuticos mais eficazes, geram uma falsa sensação de segurança. A realidade é que as infecções sexualmente transmissíveis, incluindo a aids e a sífilis, ainda avançam.

A Sífilis, por exemplo, cresce entre a população idosa (acima dos 60 anos) e na faixa etária entre 19 a 40 anos. Aumenta também em gestantes, gerando crescimento dos novos casos de sífilis congênita (transmitida de mãe para filho). Na grande maioria dos casos, os profissionais de saúde verificam falta de adesão do parceiro (masculino) ao tratamento.

“É importante que as informações sobre as ISTs cheguem às pessoas, independente de grupos ou segmentos da população. Todos precisam estar informados e adotar a prevenção como principal maneira de manter a saúde”, destaca Alessandra.

SERVIÇO

O SAE/CTA conta com funciona na rua Sete de Setembro, 793, das 07h às 18h. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 3451-2939 e 3413-7421.


Texto: Carlos Rodrigues
Foto: Divulgação



Pioneira no uso de sistema para vacinas, Saúde Municipal promove capacitação

'Reciclagem’ reuniu servidores que atuam nas UBSs e USFs do município, onde estão instaladas salas de vacina

A Secretaria Municipal da Saúde de Marília, por meio do NI (Núcleo de Informação) e do Programa Municipal de Imunização, promoveu um curso de atualização para potencializar o uso do sistema relacionado às vacinas. A atividade reuniu colaboradores que trabalham nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e USFs (Unidades Saúde da Família) do município, onde estão instaladas salas de vacina.

Marília foi uma das pioneiras no uso do SI-PNI (Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização), após implantação pelo Ministério da Saúde. Com o uso adequado das informações, a ferramenta permite a gestão logística das doses e oferece relatórios que podem, inclusive, nortear as ações para ampliação da cobertura vacinal.

Porém, conforme explica o supervisor do NI, Rafael Armentano, esses resultados somente são obtidos quando a inserção dos dados é feita de forma adequada. “A falta de informação ou eventual erro no preenchimento gera dados nos quais não existe precisão. Ou seja, a realidade não está refletiva nos relatórios obtidos”, afirma.

Por isso, o objetivo da capacitação, além de instruir e estimular o uso de todas as ferramentas do SI-PNI, foi também conscientizar sobre a importância da precisão. A enfermeira Renata Plácido, responsável pelo Programa de Imunização no município, lembra que as novas ferramentas exigem adaptação.

Muitas vezes, quando adotadas, geram mudança de rotina e nem sempre a percepção inicial é positiva, uma vez que uma nova atividade é inserida no trabalho. Porém, com o tempo, observa-se maior controle, eficiência, praticidade e, principalmente, informação que permite a todos melhorar a gestão de recursos e os resultados finais.

Texto e Foto: Carlos Rodrigues

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Zoonoses informa ações realizadas desde março para o combate a escorpiões

Veterinária Ticiana Donatti dos Reis, durante reunião com agentes de saúde e agentes de combate a endemias de Marília
Município já fez visitas domiciliares, bloqueio da região, autuação para remoção de materiais e orientação para uso de inseticida

Por meio da coordenadora, veterinária Ticiana Donatti dos Reis, a Divisão de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde de Marília, informou nesta quarta-feira (18) que já realiza, desde o início do ano, uma série de ações, juntamente com a população, para o combate a escorpiões nas imediações do Parque São Jorge (zona sul). Entre as medidas estão visitas domiciliares, bloqueio da região, autuação para remoção de materiais e orientação para uso de inseticida.

O aparecimento do animal peçonhento em ambientes domésticos pode ocorrer, de forma mais frequente, com o aumento da temperatura. Na região citada, segundo a veterinária, nos meses de março e, recentemente, há cerca de um mês, foram recebidos relatos de moradores.

“Foi feito um trabalho de bloqueio, com visitas domiciliares, notificação para limpeza de alguns locais, remoção de alguns objetos que estavam acumulados. O Clube dos Bancários foi um dos imóveis verificados e foi necessário manejo ambiental, com a retirada de madeiras que no passado eram usadas para aquecimento de piscina. Estas providências já foram tomadas, inclusive com uso de inseticida”, explicou.

Em virtude de novas chamadas, equipe da Divisão esteve no bairro novamente e verificou domicílios, áreas públicas e o entorno. Em relação às áreas internas das casas e quintais, há a orientação do uso de inseticida com princípio ativo lambda-cialotrina, que de acordo com a marca comercial, pode ser adquirido a partir de R$ 5 em lojas especializadas.

“Estamos à disposição da população, para verificação de situações mais pontuais de locais que possam favorecer a proliferação desse ou de outros aracnídeos. Mas é importante ressaltar que a Divisão de Zoonoses, em trabalho conjunto com os supervisores de saúde, está atenta e presente no bairro”, declarou a veterinária.

PREVENÇÃO

Não é preconizado o uso de inseticida de forma indiscriminada. Venenos matam não apenas o animal ou vetor que incomoda, mas também pode causar acidentes com animais domésticos e humanos, além do impacto ambiental. O uso é exceção, conforme orientações específicas.

Tanto para área urbana quanto para o campo, as recomendações do Ministério da Saúde, para se evitar acidentes com escorpiões, são: manter limpos os locais próximos das residências, jardins, quintais, paióis e celeiros (no ambiente rural); combater a proliferação de insetos, principalmente baratas e cupins; preservar predadores naturais como seriemas, corujas, sapos (área rural); limpar terrenos baldios pelo menos na faixa de um a dois metros junto ao muro ou cercas.

No caso da região onde há relato da presença de escorpiões, o uso de inseticida com o princípio ativo lambda-cialotrina é recomendado. Mais informações podem ser obtidas por meio da Divisão de Zoonoses atende pelo telefone 3401-2054. O serviço está localizado à avenida João Ramalho, 1130, Parque São Jorge, próximo a Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe.

Texto: Carlos Rodrigues
Foto: Divulgação

Neste sábado tem vacinação antirrábica nos distritos

Raiva é doença grave que pode acometer animais e humanos com risco, inclusive, de morte

Neste sábado (21) a mobilização da Campanha de Vacinação Antirrábica em Cães e Gatos será nos distritos. Postos fixos serão montados em oito locais. Dois bairros rurais serão atendidos por equipes volantes. Com esta etapa, a Secretaria Municipal da Saúde de Marília finaliza a campanha em 2017. Confira abaixo a relação dos postos de vacinação.

Somadas as etapas anteriores, na cidade já foram aplicadas 16,6 mil doses. Servidores da Saúde e acadêmicos do curso de Medicina Veterinária da Unimar participam da mobilização. A campanha é realizada anualmente, segundo especialistas, como a maneira mais eficiente de controle da raiva, uma doença que acomete animais e também humanos.

Lupércio Garrido, veterinário da Divisão de Zoonoses, explica que este ano a chuva (dois sábados consecutivos) foi um grande complicador à campanha, já que na maioria dos casos os animais são recebidos em frente aos espaços públicos. Também ficou mais difícil para os moradores saírem de casa.

Ele explica ainda que parte significativa dos cerca de 50 mil cães de Marília são vacinados em serviços particulares, o que torna incerto o número de cães que efetivamente receberam a proteção no município. Já a adesão entre os tutores de gatos, é tradicionalmente menor. 

“É importante que os moradores dos distritos participem, não percam essa oportunidade, para elevarmos a cobertura na cidade, vacinando uma grande população canina e felina de bairros mais afastados e zona rural”, destacou.

A RAIVA

A raiva é uma doença infecciosa transmitida apenas por mamíferos, através da mordida do animal infectado com o vírus do gênero Lyssavirus. A doença ainda mata, no mundo, cerca de 70 mil pessoas por ano. Na região de Marília, há registros em bubalinos e equinos, infectados por morcegos hematófagos.

O último caso de raiva canina na cidade, conta o veterinário Lupércio Garrido, responsável pelas ações de Educação em Saúde na Divisão de Zoonoses, foi notificado em setembro de 2000. O intervalo de 17 anos sem nenhum caso decorre das ações que incluem a campanha de vacinação, por isso a importância de levar o animal de estimação para aplicação da dose.

Texto: Carlos Rodrigues
Foto: Arquivo

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Com envolvimento de médicos, unidades orientam população sobre o Câncer de Mama


Na manhã desta terça-feira (17) médica Marines Laveso de Brito falou para o grupo Ação e Movimento

Com palestra da médica Marines Laveso de Brito, da UBS (Unidade Básica de Saúde) Castelo Branco, cerca de 50 pessoas foram orientadas sobre o câncer de mama e outros temas da saúde da mulher, nesta terça-feira (17), durante evento da campanha Outubro Rosa. Desde o início do mês, dezenas de ações estão sendo realizadas pelas unidades da rede básica de Marília, com a participação e valorização de profissionais de áreas diversas da saúde.

O objetivo é a atenção integral. As atividades contam com o apoio da comunidade, por meio de igrejas, associações, espaços comunitários e entidades. No Castelo Branco, a médica ginecologista falou para uma plateia formada por mulheres (e alguns homens) do grupo Ação e Movimento.

Ela explicou a importância do autoexame para o diagnóstico precoce, reforçou a necessidade dos exames clínicos periódicos (feitos na própria unidade) e ressaltou o grande êxito dos tratamentos atualmente disponíveis, quando o tumor é detectado na fase inicial.

A enfermeira gerente da unidade, Vânia D'Aloia Garcia Bassan, explica que a ação foi preparada com a colaboração dos próprios usuários. Acadêmicos do curso de Terapia Ocupacional da Unesp explicaram os atuais recursos para os casos de mastectomia, quando há a necessidade de remoção total ou de parte da mama.

PREVENÇÃO

O grupo também foi orientado sobre hábitos de vida que podem, segundo a literatura, favorecer à saúde da mulher e minimizar os riscos do câncer. Caminhar, evitar alimentos gordurosos, fumo, fazer o controle do peso e manter alimentação saudável são algumas das dicas.



A secretária municipal da Saúde, Kátia Ferraz Santana, lembrou que Marília conta com 12 UBSs e 37 equipes do programa ESF (Estratégia Saúde da Família), sendo que praticamente todas estão realizado algum tipo de ação para marcar o mês de prevenção ao câncer de mama.

“Juntas, as equipes, com cada profissional dando a sua contribuição, estão desenvolvendo um trabalho maravilhoso, totalmente em consonância com as diretrizes do SUS, preconizadas pelo Ministério da Saúde. São ações de envolvimento, educação em saúde e assistência”, parabenizou.

Texto: Carlos Rodrigues
Fotos: Júlio César de Carlis

Dia do Médico: Secretária Kátia Santana destaca importância do profissional na saúde pública

Defensora do SUS, gestora da pasta no município de Marília lembra que o Sistema Único foi construído com forte participação da classe médica

Da rede básica à alta complexidade, os médicos estão presentes na vida das pessoas em momentos marcantes. Em mensagem à categoria, em função do dia 18 de outubro, a secretária municipal da Saúde de Marília, Kátia Ferraz Santana, destacou a importância fundamental deste profissional na construção e aprimoramento do SUS (Sistema Único de Saúde), bem como sua participação no amplo conceito de bem-estar e qualidade de vida, construído pela sociedade ao longo do tempo.

“Os médicos e as médicas identificam problemas e propõem soluções à humanidade, sempre que pesquisam e desenvolvem as ciências médicas. Eles participam da prevenção, quando nos orientam na rotina do atendimento. Estão nas emergências, fazendo intervenções que salvam vidas. Até mesmo nos momentos mais delicados, quando humanamente os recursos se esgotaram, estão ao nosso lado, dando conforto às famílias”, disse a secretária.

No cenário atual, as especialidades são inúmeras, seja na saúde pública ou suplementar, porém a grande maioria dos profissionais médicos são movidos pelo mesmo desafio de melhorar a vida das pessoas. Há ainda um esforço acadêmico constante e grande exigência de atualização.

“Na Secretaria Municipal da Saúde temos um olhar de muito carinho para com os médicos e médicas da rede. Sabemos que o profissional vinculado à saúde pública, enfrenta, muitas vezes, adversidades inerentes do sistema. É muito bom ver que, assim como nós, muitos deles acreditam no SUS e trabalham para aumentar sua eficácia e resolutividade, salvando vidas”, destacou a gestora.

NOTA À POPULAÇÃO

Com relação a liminar concedida pela Justiça Federal de Brasília, a partir de ação movida pelo Conselho Federal de Medicina, que suspendeu a requisição de exames por Enfermeiros na Atenção Básica a Secretaria Municipal da Saúde de Marília esclarece à população:

As atividades citadas, exercidas pelos Enfermeiros, são normatizadas e previstas em protocolos. É importante ressaltar que o modelo de atenção preconizado pelo SUS (Sistema Único de Saúde) é pautado por um olhar interdisciplinar, no qual diferentes profissionais atuam e contribuem para a qualidade e integralidade do atendimento oferecido à população. 

O Ministério da Saúde já se manifestou sobre a decisão judicial e reforçou o entendimento de que a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) é essencial para garantir o acesso de toda a população brasileira ao cuidado em saúde e que sua implementação em todos os municípios do Brasil depende da atuação da equipe multiprofissional.

Dessa forma, a liminar impacta diretamente no funcionamento das unidades básicas de saúde e na garantia do acesso da população. Por isso, visando manter as atividades previstas na nova Política Nacional de Atenção Básica e garantir a assistência à população, o Ministério da Saúde anunciou que apresentará os subsídios necessários para que a AGU (Advocacia Geral da União) possa recorrer da decisão.

Durante a vigência da liminar, a Secretaria Municipal da Saúde informa que a população poderá ser impactada, de forma especial, ao buscar serviços antes realizados por Enfermeiros, por ora impedidos de requisitar consultas e exames complementares na atenção básica e de renovarem receitas médicas.

Por fim, a Secretaria da Saúde de Marília lamenta que a população seja afetada pela discussão judicial das prerrogativas e informa que, por meio do Cosems/SP (Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo) e Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), gestões estão sendo realizadas, junto à entidades que atuam na defesa da saúde pública no país, para que haja desfecho favorável aos usuários do SUS.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Prefeito Daniel anuncia ‘Cidade Limpa’ em Marília em parceria com a TV TEM


Coleta de materiais inservíveis começa no próximo dia 23 e vai até o dia 31; será a segunda ação deste ano

Começa na próxima segunda-feira (23), em parceria com a TV TEM, a campanha “Cidade Limpa” em Marília. Será a primeira vez que o município realiza dois grandes mutirões de coleta de materiais inservíveis no mesmo ano. Serão oito dias de intenso trabalho, abrangendo todos os bairros da cidade. O início da ação em Marília culmina com a abertura da ‘Semana Nacional de Combate ao Aedes Aegypti’. A coleta acontecerá entre os dias 23 e 31 deste mês.

O anúncio foi feito pelo prefeito Daniel Alonso, após reunião com os secretários e setores estratégicos da administração. “Sempre alertamos a população para a importância de manter os quintais limpos. Com essa iniciativa, estamos apoiando o cidadão, dando a oportunidade para que essa limpeza aconteça sem nenhum custo a mais para o contribuinte”, destacou.

Reunião na tarde desta segunda-feira (16), na Prefeitura, definiu os detalhes operacionais do mutirão. Pelo menos 15 caminhões e centenas de pessoas serão mobilizadas para a limpeza da cidade. A expectativa é coletar centenas de toneladas, durante os oito dias. Devem ser colocados em frente as calçadas todo tipo de material inservível que possa acumular água, exceto galhos e entulhos de construção.

A primeira região atendida será a zona norte da cidade, seguida da zona leste, centro e oeste, com encerramento na região sul. Em etapa posterior, será feita limpeza também nos distritos de Marília. O programa de iniciativa da TV TEM, realizado com as prefeituras, envolverá diretamente as secretarias de Meio Ambiente e Limpeza Pública, Saúde e Obras.

O secretário de Meio Ambiente e Limpeza Pública, Vanderlei Dolce, destaca que a adesão ao programa Cidade Limpa cumpre um compromisso firmado em março. Na época, a cidade estava com elevado índice larvário (Aedes Aegypti) e os esforços da população e do Poder Público ajudaram no controle de doenças.

“O prefeito Daniel, corajosamente, decidiu fazer o mutirão somente com o esforço do município (à época, sem a parceria da emissora) porque Marília ainda não estava na programação do Cidade Limpa. Agora, com a colaboração da TV TEM, temos a satisfação de anunciar o segundo mutirão do ano. Pedimos à população que faça a sua parte, colocando os rejeitos nos dias indicados”, disse.

A secretária municipal da Saúde, Kátia Santana, lembrou que existe um alerta para o Estado de São Paulo em relação ao Aedes Aegypti e as doenças transmitidas pelo vetor. Ela acredita que a Campanha Cidade Limpa chega em excelente momento, junto com a intensificação que a pasta está fazendo para o controle das doenças no período em que o risco de transmissão aumenta.


PROGRAMAÇÃO

Datas Regiões
23 e 24 Norte
25 e 26 Leste
27 e 28 Oeste / Centro
30 e 31 Sul

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Caoim tem programação especial para marcar Dia Mundial de Combate a Obesidade

Em comemoração ao Dia das Crianças e ao Dia Mundial ao Combate a Obesidade Infantil, o Caoim (Centro de Atendimento a Obesidade Infantil de Marília) realizou uma série de atividades  especiais nesta semana. Na prática, são exemplos de como as famílias podem adotar hábitos em casa ou no bairro onde vive, para uma vida mais saudável.

Entre as atividades desenvolvidas com as crianças e adolescentes do Caoim estão a caminhada e utilização da academia ao ar livre. Nesta semana, os profissionais levaram grupos para fora da unidade e exploraram espaços como a praça Higashi Hiroshima, em frente a Emdurb.

Também foram desenvolvidos exercícios físicos em quadra, lanche saudável, palestra com dicas práticas e saudáveis para alimentação nas datas festivas, com posterior atividade que simulou “compra em supermercado”. Panfletos de propagandas ajudaram no calculo do quanto as famílias costumam gastar, parte do seu orçamento doméstico, com guloseimas.

Com esse valor, os educadores em saúde mostraram o que seria possível comprar em alimentos mais nutritivos para toda a família. “Exemplos simples e práticos que podem ajudar as famílias a mudarem e melhorarem seus hábitos de vida”, explica a enfermeira Magda Rodrigues Azevedo, que integra a equipe.

O SERVIÇO

O Caoim é um serviço da Secretaria Municipal de Saúde que desenvolve programa contemplando
orientação nutricional, atividades físicas e outras ações de atenção à saúde com foco na criança/adolescente e qualidade de vida para as famílias. A cada semestre, são oferecidas 240 vagas.

O atendimento é oferecido pelo SUS (Sistema Único de Saúde), com portas abertas para a população. Basta que os pais ou responsáveis procurem a unidade para fazer uma avaliação e encaminhamento para o atendimento, orientação e tratamento. 

O acesso pode ocorrer ainda por meio das unidades de saúde do município. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (14) 3454-6618, ou pessoalmente na rua Nove de Julho, nº 395, próximo a Justiça Federal. O atendimento é das 07h às 17h.

Texto: Carlos Rodrigues
Fotos: Divulgação